Destaque Notícias

O BRASIL DO ÓDIO QUE FESTEJA A MORTE DOS QUE SÃO CONTRÁRIOS AO PRESIDENTE

Um dos ícones do jornalismo brasileiro,  o jornalista Paulo Henrique Amorim morre aos 77 anos de infarto fulminante.

A notícia deixou muita gente triste, pelo fato da perda de um grande nome do jornalismo brasileiro, mas principalmente  pelo ser humano e toda sua contribuição dada a nação brasileira.

Mas , se por um lado a triste notícia abalou a família, os parentes, os amigos e os fãs de Paulo Henrique Amorim, por outro a vergonhosa noticia em saber que muitos defensores do presidente do Brasil Jair Bolsonaro comemoram nas redes sociais a morte do jornalista.

Infelizmente o Brasil entrou numa onda de ódio ridícula impulsionada pela atitude daqueles que acreditam erradamente que é pela força, a violação dos direitos, o autoritarismo e o desejo de exterminar os desafetos político do governo é que as coisas irão mudar no Brasil.

A atitude dessas pessoas nos leva a pensar para onde iremos e o que realmente queremos para nosso país.

O ódio é um sentimento como outros que precisa ser estimulado para causar males e nos últimos meses a ideia proposta por muitos seguidores do presidente do Brasil de destrui qualquer pessoa que pense diferente deles ou tenha tendência a defender o ex presidente Lula e o PT tem deixado o pais muito desumano.

Paulo Henrique Amorim como qualquer brasileiro tem (tinha ) o direito de defender aquilo que lhe mostrasse mais coerente e ele sempre o fez.

Suas defesas foram  sempre embasada em fatos concretos, sem criações ilusórias para denegrir qualquer que seja mereciam uma leitura mais racional daqueles que nessa data triste festejam sua morte.

O Brasil precisa de governos que reflitam aos seus apoiadores uma luta digna por um país mais justo a todos, não um país de intolerância e ódio pela democracia.

Por: Francisco Miranda

Imagem: Google/Greg Salibian/Folhapress – 19.08.2017

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *